Entendendo a depressão

Como conhecemos nossa hipocrisia, sabemos que esse é o mês da aparências, em que todos compartilhar gigantescos textos, em apoio a quem sofre de depressão, mas que na real, passa os outros 11 meses os apedrejando, mas NÃO é de todo ruim , vamos pegar o melhor guardar pra gente né?
Há algum tempo eu venho escrevendo um pequeno texto, acho que ele mostra como eu me sinto e deve ser bem o que vocês sentem também, por isso decidi compartilha-lo aqui, espero que gostem <3



Hoje eu acordei, decidida a seguir a ideia de que um pensamento positivo ao iniciar um dia, o faz melhor.
No meio do dia, a dor tomou conta e eu pensei "mas nada aconteceu hoje" ao cair a noite a dor aumentou e eu pensei "hoje foi um dia normal" ao concluir o dia, já não era mais eu, era apenas ela, a maldita dor que habitava meu corpo.
Meus ombros já não suportam carregar tamanho peso, meu braços são muito curtos pra alcançar meus sonhos e como se não bastasse, mesmo quando eu quero algo, eu mesma acabo me sabotando e estragando tudo.


Defino essa dor como, ora cheia de tudo, ora vazia, é assim que sinto. Você não quer desistir, sei como você se sente, você só queria falar: ô vida, já deu né? Somos mais de 5 bilhões, pra quê judiar tanto de mim?
Mas assim como a vida, boa parte dos amigos e dos familiares também não estão nem ai pra sua dor, mas também, quem estaria?  A gente te chama pra sair mas você não quer, passa o dia inteiro deitada nessa cama, presa nesse quarto, sua dor não é nada perto das demais, pelo menos é o que ELES pensam, eles só desejam melhoras para doenças tratáveis em hospital, a sua é frescura, falta de uma boa louça pra lavar, falta de Deus, falta de amadurecimento, afinal, muitos dos que dizem sentir dor, como Clarisse, só tem 14 anos (já ouviu essa música?)
Queria eu ter sua vida!


Tá reclamando do que mesmo?
Estou aqui pra qualquer coisa, desde que você não precise de mim
Pode falar, vou te ouvir e te julgar
Sem mimimi vai lá e faz, isso é fazendo tipinho
As vezes eu paro e penso: se alguém chegar e falar, me diz onde dói que eu vou curar. Você saberia dizer?  eu também não.
Não é como um osso quebrado, eu não consigo apontar onde dói, dói tudo, de forma simultânea. As pessoas dizem que nós desistimos muito fácil, mas mal sabem elas o quão nós tentamos e tentamos...
Eu posso de forma genuína dizer EU TE ENTENDO! E olhe pra mim, tenho tantos motivos pra desistir, mas eu persisto, no que me faz bem. Eu queria ouvir isso e mesmo que não tenha acontecido, eu vou dizer,  naquele pequeno freixo de luz, lá num cantinho do fim do túnel e olhe a chama da esperança começando a renascer, talvez já tenha ficado mais claro do que o raiar do sol: Cara, tu é incrível, é tão forte, ainda está tentando, mesmo nadando contra a maré e peço algo: NÃO DESISTA, NÃO SEJA MAIS UMA ESTATÍSTICA! PERSEVERE.
É um sentimento de derrota, de perder pra si mesmo.


Se identificou? acha que o texto merece ser compartilhado? compartilhe no seu Facebook, na opção logo abaixo❤️